Notícias

23ª Feira do Livro e das Multivozes faz reverência a escritores homenageados neste domingo (25)
24/08/2019

23ª Feira do Livro e das Multivozes faz reverência a escritores homenageados neste domingo (25)

Os dois grandes homenageados pela 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes são destaque no primeiro dia da programação técnica. O poeta João de Jesus Paes Loureiro e a professora e ativista Zélia Amador de Deus participam do Encontro Literário deste domingo (25) a partir das 20h, na Arena Multivozes.É uma oportunidade de interagir com duas grandes personalidades paraenses de grande importância nos cenários literário, acadêmico e do ativismo social, que este ano recebem o devido reconhecimento no maior evento literário da região. A programação deste domingo é voltada às Vozes dos Homenageados. As atividades começam pela manhã, às 10h30, com a exibição dos curtas “Trilogia da Turma da Pororoca”, na Arena Multivozes. No mesmo horário, na Arena Walcyr Monteiro, o público poderá assistir ao espetáculo teatral “Cada Qual em seu Barril”, da Cia dos Notáveis Clowns. Em seguida, às 11h30, a feira abre espaço para a programação infantil, com a contação “História dos livros e suas histórias”, que será feita por Yandra Galuppo. A Arena Multivozes também terá, neste domingo, o Sarau Encharcado, com Renato Gusmão (14h); a conferência “Imagens urbanas na poesia de Paes Loureiro”, com Silvio Holanda (15h); a mesa redonda “Paes Loureiro, Pensador da Amazônia” (poesia e ensaísmo) com mediação de Carlos Dias e participação de Relivaldo Pinho e Luís Heleno Montoril Del Castilo (16h); e a conferência “Negritude e Ativismo no Pará”, com Flávia Ribeiro (18h).Teatro – A programação segue na Arena Walcyr Monteiro com dois espetáculos teatrais: “Projeto Escrevendo a Nossa História”, parceria da Imprensa Oficial do Estado (IOE) com o Centro de Estudos e Memória da Juventude (Cemja) às 16h; e “Vozes da Criação”, que será apresentado pelos alunos da Escola Estadual de Ensino Técnico de Nível Médio e Artes São Lucas, às 17h. A programação do dia termina com show do Arraial do Pavulagem, na área externa do Hangar, às 21h.Programação: 25/08 (DOMINGO) - VOZES DOS HOMENAGEADOSARENA MULTIVOZES10h30 – PROGRAMAÇÃO CULTURALExibição dos curtas: "Trilogia da Turma da Pororoca" 14h – PROGRAMAÇÃO CULTURALSarau Encharcado - Renato Gusmão (PA) 15h – CONFERÊNCIAImagens urbanas na poesia de Paes Loureiro - Silvio Holanda (PA) 16h – MESA REDONDAPaes Loureiro, Pensador da Amazônia (Poesia e Ensaísmo) - Relivaldo Pinho (PA) e Luís Heleno Montoril Del Castilo (PA)Mediação: Carlos Dias (PA) 17h – PROGRAMAÇAO CULTURALAlma e resistência: tributo a Zélia Amador de Deus (Performance Juliana Mapemba/PA, Carlos Vera Cruz/PA e Preto Michel/PA) 18h – CONFERÊNCIANegritude e Ativismo no Pará - Flávia Ribeiro (PA) 19h – MESA REDONDAATO-LUTA-VOZ de Zélia Amador de Deus, a Herdeira de Ananse - Joana Carmen (PA) e Ceci Bandeira (PA) 20h – ENCONTRO LITERÁRIOJoão de Jesus Paes Loureiro (PA) e Zélia Amador (PA) Mediação: Paulo Maués Corrêa (PA) ARENA WALCYR MONTEIRO 10h30 – Espetáculo Teatral: “Cada qual em seu barril” (Cia dos Notáveis Clowns)11h30 – Contação de História: "História dos livros e suas histórias" (Yandra Galuppo)15h – Espetáculo Teatral: “Curupira” (In Bust - Teatro de Bonecos)16h – Espetáculo Teatral: "Projeto Escrevendo a Nossa História" (CEMJA / IOE) 17h – Espetáculo Teatral: "Vozes da criação" - EEETMA São Lucas (Castanhal/SEDUC)18h – Contação de História: "O homem da árvore na cabeça" (Zezé Caxiado)19h – Espetáculo Teatral: A vida que sempre morre, que se perde em que se perca (Grupo Gruta)ARENA EXTERNA21h – Arraial do Pavulagem Serviço: A 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes é uma ação do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Cultura (Secult), que segue até 1º de setembro, no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia. O evento está aberto para visitação entre 10h e 21h com entrada franca.Texto: Úrsula Pereira Foto: Joyce Cursino ASCOM Secult

Ler mais...
UEPA participa da 23ª Feira do Livro Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes com série de atividades
24/08/2019

UEPA participa da 23ª Feira do Livro Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes com série de atividades

A Universidade do Estado do Pará (UEPA) vai participar da 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes com palestras, debates e serviços. O evento acontece de 24/08 a 01/09 no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, localizado na avenida Doutor Freitas, s/n, bairro do Marco.Neste sábado (24) de 10h a 13h e na abertura oficial, às 19h, a professora Scheilla Abbud representará a Universidade no 17º Stand, destinado a informar sobre o autismo. A docente é integrante do Grupo de Trabalho do Projeto Clínica Escola do Autismo (Cetea) e uma das autoras do projeto da primeira especialização pública em nível estadual no Pará com foco em transtorno do espectro autista.  O Curso pretende oferecer suporte teórico e prático para capacitar professores, psicólogos, terapeutas ocupacionais, médicos e outros profissionais que atuam com pessoas autistas visando um melhor atendimento a esses pacientes. O objetivo inicial é formar 100 profissionais especialistas em autismo.  No dia 31, às 17h, acontece a roda de conversa Autismo: a Voz e a Vez da inclusão, na qual falarão profissionais da saúde e um jovem autista. Ao longo da Feira, associações de familiares de autistas divulgarão ações desenvolvidas no stand. Educação no Trânsito - Neste domingo (25), às 17h, as professoras da UEPA Ceila Ribeiro de Moraes, Diana Ferreira, Elizabeth Carvalho de Oliveira e Jacirene Vasconcelos de Albuquerque irão realizar uma tarde de autógrafos, no estande 63º na Feira do Livro. Elas são autoras dos livros Iaçá e sua bicicleta; Curupira. Superamigo do trânsito; Navegando nos rios da Amazônia com a Iara. A coleção intitulada Educação para o Trânsito, da editora Cultural do Brasil, é contextualizada com personagens folclóricos e explora temas transversais como saúde, meio ambiente, ética e cidadania nas diversas áreas de conhecimento com foco na mobilidade em vias terrestres e fluviais. As obras se destacam por conter informações sobre trânsito que também contemplem o universo ribeirinho, o fluxo de pessoas e embarcações em rios da região Amazônica. Acessibilidade – O serviço de guia vidente e de intérprete da Língua Brasileira de Sinais (Libras) será ofertado pelo Projeto Lamparina Acesa Literatura Acessível, que é vinculado ao Núcleo de Pesquisa Culturas e Memórias Amazônicas (Cuma) da UEPA. Pela primeira vez, o Projeto terá um stand, para levar acessibilidade literária para pessoas com deficiência visual e deficiência auditiva. 24 voluntários irão trabalhar em regime de escala durante todos os dias da Feira entre 10h e 22h para receber o público. No dia 28 de agosto, às 14h, acontece uma roda de conversa sobre acessibilidade literária.  Neste mesmo dia, às 15h, a professora e coordenadora do Cuma, Josebel Fares, ministrará uma palestra com o tema “Vozes do Imaginário Marajoara”. “Vou falar sobre pesquisas poéticas orais do Marajó. O que essas pessoas que moram lá contam. É importante falar disso para que as pessoas conheçam a Amazônia”, disse a professora.  Educação Indígena - No dia 30 de agosto, na programação Vozes Indígenas e originárias, às 16h, a mestranda  em Educação Escolar Indígena da Uepa, Matania Surui, participa da mesa redonda “Patrimônio e Memória: perpetuação, vivência e cultura”. Já às 19h, uma nova mesa discute os dilemas da educação escolar indígena com a participação da coordenadora do  Núcleo de Formação Indígena (NUFI) da UEPA, Joelma Alencar, e da mestranda da Universidade, Lili Chipaia.  Eduepa – Durante todos os dias da Feira, a Editora da Universidade do Estado do Pará (Eduepa) também estará presente, junto com a Associação Brasileira das Editoras Universitárias (ABEU). No total são 29 obras que estarão à disposição do público, sendo cinco lançamentos. Para conferir a lista, clique aqui.  Também ao longo dos nove dias de programação, os docentes e técnicos da Uepa podem utilizar o CredLivro, bonificação concedida para aquisições de obras na Feira do Livro e das Multivozes.  A consulta pode ser realizada pelo endereço eletrônico https://sistemas.uepa.br/feiradolivro2019/grid_servidores/, utilizando a numeração do CPF do favorecido.  CredLivro: https://sistemas.uepa.br/feiradolivro2019/grid_servidores/(ASCOM UEPA)

Ler mais...
23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes começa neste sábado (24), no Hangar
24/08/2019

23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes começa neste sábado (24), no Hangar

“No momento em que a Amazônia está no centro das atenções por conta de uma forte crise climática e ambiental, é fundamental que os amazônidas tenham suas vozes escutadas - sejam eles homens, mulheres, ribeirinhos, indígenas, jovens, LGBTI’s ou afro-brasileiros”. Foi assim que a secretária de Estado de Cultura, Ursula Vidal, definiu a importância da 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, que acontece de 24/08 a 01/09 em Belém, no Hangar - Centro de Convenções da Amazônia.O evento, considerado o mais importante do segmento na região, chega à 23ª edição com um conceito novo, apresentado à imprensa na manhã da última sexta-feira (23), véspera da abertura oficial. A ideia para este ano é que, além de abrir espaço para a literatura, a Feira também fomente a oralidade como um importante instrumento de luta e resistência.Outra novidade anunciada na ocasião é a escolha dos escritores homenageados desta edição, são os professores e pesquisadores João de Jesus Paes Loureiro e Zélia Amador de Deus. Ambos são importantes ícones da cultura local que representam a variedade de vozes característica do evento. Para Zélia, a homenagem é motivo de felicidade.“Demorei um pouco a me acostumar com a ideia de ser homenageada pela Feira, porque nunca me considerei uma escritora, mas sim uma 'faladeira'. Depois entendi que o objetivo do evento é justamente abrir espaço para as 'vozes', as diferentes leituras de mundo. E isso me traz muita alegria”, destacou a professora e doutora que também é uma reconhecida ativista do movimento negro.Já o professor, doutor, escritor e poeta João de Jesus Paes Loureiro festejou a renovação da Feira Pan-Amazônica do Livro. “A grande mudança conceitual da Feira é a abertura para as multivozes, para a literatura e para a dimensão social que a arte tem, sem a qual a humanidade não poderia existir”, enfatizou.Recortes – Segundo um dos organizadores gerais da Feira, Júnior Soares, a programação do evento é baseada em recortes curatoriais. Os 9 dias trarão diferentes temáticas baseadas em questões sobre mulheres, negros, indígenas, LBGTI’s, entre outros. No domingo (25), por exemplo, a maior parte da programação estará voltada para os dois escritores homenageados, enquanto a segunda-feira (26) terá a maioria de suas ações abordando o universo LGBTI. Cada dia terá um foco diferente.A programação acontece em espaços como a “Arena Multivozes” - onde ocorrerão palestras, debates e rodas de conversas com autores locais e nacionais - e a “Arena Walcyr Monteiro”, voltada para atividades infanto-juvenis como contação de histórias e apresentações de peças de teatro. “Além disso, também teremos pontos como uma feira de artesanato permanente; um espaço geek destinado a consumidores de quadrinhos e o palco do lado de fora do Hangar, onde ocorrerão os shows musicais, entre outros”, comentou Soares.Acessibilidade – O coordenador também destacou o fato de que a Feira vai dar um tratamento diferenciado para pessoas com deficiência. Surdos e mudos, por exemplo, contarão com o apoio do projeto “Lamparina Acesa – Literatura Acessível”, vinculado à Universidade do Estado do Pará (UEPA), que dará suporte a essas pessoas por meio da linguagem de sinais e de audiodescrição. “A ideia é que esta seja a edição da Feira mais acessível de todos os tempos”, reforçou.Grandiosidade – Segundo o representante da Associação Nacional das Livrarias (ANL), Robério Silva, a Feira Pan-Amazônica do Livro é uma das mais esperadas pelo mercado editorial e livreiro do País. Neste ano, o evento contará com 400 editoras direta ou indiretamente representadas; 120 editoras universitárias; cerca de 90 mil títulos disponíveis, incluindo os últimos lançamentos do mercado e, ao todo, mais de 200 toneladas de livros.Todo esse material estará exposto nos 197 estandes espalhados em uma área totalmente climatizada de cerca de 10.000 m². “Também teremos a participação de livrarias de outros países, como Peru, Argentina, Espanha, México, Venezuela, Equador, França e Alemanha”, informou, acrescentando que os exemplares custarão a partir de R$ 5.Credlivro – A representante da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Arileide Piedade, ressaltou o fato de, neste ano, o governo do Estado estar disponibilizando cerca de R$ 3,8 milhões por meio da política do Credlivro, que beneficiará 19 mil servidores da área da educação.Interiorização – De acordo com a secretária de Estado de Cultura, Ursula Vidal, além de eventos em Belém, Marabá e Santarém, como já vinha ocorrendo ao longo das edições, a Feira Pan-Amazônica do Livro neste ano também chegará aos municípios de Parauapebas (no sudeste do Estado) e Bragança (no nordeste paraense) com festas literárias. “Queremos fazer um evento à altura da expectativa dos paraenses e, ao mesmo tempo, chegar ao máximo de municípios que pudermos, levando arte e cultura para todo o Pará”, declarou.Abertura – A abertura oficial da Feira Pan-Amazônica do Livro será neste sábado (24), com a presença do governador do Estado, Helder Barbalho, a partir das 19h. Na ocasião, o chefe do Executivo estadual assinará o decreto que institui a Política Pública de Edições e Publicações de Livros, Revistas, Cartilhas, Jornais e E-books do Estado do Pará, que ficará sob a gerência da Imprensa Oficial do Estado (IOE). Serviço – A programação da Feira do Livro acontece de 24 de agosto a 1° de setembro, entre 10h e 22h, com entrada franca. Mais informações podem ser obtidas no site do evento. Texto: Elck Oliveira/ Agência ParáFotos: Alex Ribeiro

Ler mais...
Secult lança edital para espaço geek na 23ª Feira Pan Amazônica do Livro e das Multivozes
17/08/2019

Secult lança edital para espaço geek na 23ª Feira Pan Amazônica do Livro e das Multivozes

Não é de hoje que séries, filmes, livros e quadrinhos fazem a cabeça, não só de crianças, mas também de jovens e adultos. Nos últimos anos, o mercado geek teve um crescimento significativo no Brasil. E no Pará, não foi diferente.A cada ano, Belém promove mais eventos e projetos voltados para essa cultura que, diariamente, também recebe mais adeptos. É com a intenção de contemplar esse público que a Secult idealizou a criação do Espaço Geek dentro da 23ª Feira Pan Amazônica do Livro e das Multivozes, que acontecerá no período de 24 de agosto a 1º de setembro de 2019, no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia.Saindo do imaginário e partindo para o real, o Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), lançou nesta segunda-feira (5), o edital de Credenciamento de Artistas, que regulamenta o acesso ao espaço destinado a quadrinistas, ilustradores e artistas visuais independentes que irão expor e comercializar produtos do universo geek, em uma área denominada 'Beco dos Artistas'.De acordo com Cássio Tavernard, diretor do Departamento de Editoração e Memória da Secult (DEM), o Beco dos Artistas segue o formato de ambientes desse gênero, já consagrado em exposições e feiras no Brasil e no mundo. "Nossa intenção é reunir artistas que trabalham com quadrinhos, fanzines de produção autoral ou coletiva para que essa galera possa vender seu trabalho de ilustração, pôster, camisa, aqueles trabalhos produzidos na hora, personalizados, como caricaturas, cartuns e outros objetos", explicou.O edital vai selecionar até 21 (vinte e um) artistas para composição do espaço, escolhidos por uma comissão julgadora indicada pela Secult, formada por artistas da área e representantes da Secretaria. A escolha se dará por meio da análise das obras do artista proponente, não por sua qualidade, mas por uma tipologia de materialidades (descritas no edital), que se definiu como adequada para o Beco dos Artistas.Para Ursula Vidal, secretária de Estado de Cultura, o edital é um canal direto de interação que a Secult estabelece com os artistas da cena local dos quadrinhos e demais linguagens. "Desde o inicio do ano a gente estava estudando como abordar essa temática, que tem imenso valor artístico e criativo. Era uma exigência nossa que buscássemos uma forma de valorizar a produção local. Durante a 'Escuta da Setorial do Livro, Leitura e Literatura' surgiu a ideia e nós aproveitamos para colocar em prática durante a Feira do Livro".Poderão participar artistas que tenham trabalhos de quadrinhos autorais (literatura desenhada) e aqueles que tiverem trabalhos artísticos originais e autorais reconhecidos na área de artes visuais para comercialização.Inscrições - São gratuitas e foram abertas na segunda-feira (5) e seguem até 09 de agosto de 2019. Para se inscrever os interessados devem entregar - em formato que permita a sua perfeita compreensão, os documentos solicitados no edital, devidamente preenchidos e assinados, em envelope fechado e identificado - e os materiais presencialmente no Departamento de Editoração e Memória – DEM (Rua Padre Champagnat, 158 - Feliz Lusitânia, Cidade Velha - Belém - Pará, CEP.: 66020-470), de 11 às 18h. Cada candidato pode apresentar somente um projeto para a seleção.Por Úrsula Pereira (SECULT)

Ler mais...
Estande da Imprensa Oficial terá ‘Sátiras’ e ‘Líricas’ de Cláudio Rendeiro
17/08/2019

Estande da Imprensa Oficial terá ‘Sátiras’ e ‘Líricas’ de Cláudio Rendeiro

Sucesso de vendas na última edição da Feira Pan Amazônia do Livro, os livros "Sátiras de Um Ribeirinho" e "Líricas Ribeirinhas e Outras Margens", do escritor e juiz paraense, Cláudio Rendeiro, estarão novamente disponíveis ao público que visitar o estande da Imprensa Oficial nesta edição da feira. Além disso, o escritor já prepara mais dois livros, que serão lançados ano que vem em parceria com a Ioepa.Segundo Cláudio Rendeiro, as novas obras são parte de um projeto de quatro livros, que inclui as duas primeiras obras lançadas em 2018, mais os livros "Causos", de Epaminondas Gustavo, e "Crônicas", de Cláudio Rendeiro, que o autor trabalha para lançar em 2020."Trata-se da segunda parte do projeto. Nestas duas obras, vou contar os causos do interior, do ribeirinho, das conversas que acontecem nos hospitais, no fórum, da nossa linguagem, além das crônicas urbanas no Ver-o-Peso, sobre os bairros pitorescos de Belém, viagens do interior e situações que acontecem no dia a dia", contou Cláudio.Para quem não sabe, o autor é o criador do personagem Epaminondas, que viralizou no aplicativo de celular WhatsApp e estreou na literatura com os livros "Líricas Ribeirinhas e outras margens" e "Sátiras de um ribeirinho, de Epaminondas Gustavo". As obras poderão ser ouvidas por meio de um QRCode."Acho fabulosa a parceria com a Imprensa Oficial, que mais uma vez abre as portas para o escritor paraense, com um olhar amazônico fundamental de valorização de quem escreve sobre o Pará e o Norte do Brasil. Meus livros foram lançados pela primeira vez na Feira do Livro, pela Imprensa Oficial, e tive a grata satisfação de ser o 6º livro mais vendido dos escritores paraenses", comemora.Segundo presidente da Imprensa Oficial, Jorge Panzera, a inclusão, mais uma vez, das obras de Cláudio Ribeiro no estande da Imprensa Oficial, além de mostrar a importância da produção do escritor, é uma forma de valorização e estímulo a novos escritores paraenses, com peculiaridades características da Amazônia. "O Cláudio Rendeiro gerou um personagem que é muito a cara do paraense, com um traço cultural muito próprio, que é o ribeirinho da Amazônia e que é a cara do Epaminondas", comentou.A 23ª Feira PanAmazônica do Livro e das Multivozes ocorrerá de 24 de agosto a 2 de setembro, em Belém, e terá como homenageado o escritor, poeta e pesquisador João de Jesus Paes Loureiro, e a pesquisadora e ativista do movimento negro, Zélia Amador de Deus. Segundo a Secretaria de Estado de Cultura (Secult), mais de 400 mil pessoas devem visitar o Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia durante o evento.Fonte: AGENCIA PARÁPor Julie Rocha (IOE)

Ler mais...