Influências da literatura periférica regional são discutidas em mesa redonda no último dia da Feira


A mesa redonda “Literatura Periférica nas Escolas”, realizada na Arena Multivozes no último dia da 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, reuniu os escritores paraenses Rosinaldo Pinheiro e Preto Michel. Na ocasião falaram de suas obras e experiências como autores.

Lançando o seu primeiro livro, “Lado Preto da Poesia”, Preto Michel coloca em seus versos toda a vivência das periferias de Belém com realidades que causam identificação. “Minha periferia é periférica, então lá tem tudo. Amor, rancor, felicidade e vários sentimentos. Quando eu escrevo, me inspiro na situação que eu vivo, o que eu vejo nas pessoas”, conta.

Para o autor, a valorização dos escritores e obras paraenses é de extrema importância. “A importância é que as pessoas possam ler mais os escritores paraenses, reconhecer essa obra literária e viver essas obras para que elas sejam referências na literatura”, afirma.

Criador da revista em quadrinhos “A Turma do Açaí”, Rosinaldo Pinheiro aposta em gírias paraenses com personagens que retratam o dia a dia da população ribeirinha. “A Turma do Açaí vem de Igarapé-Miri porque eu sou de lá, mas moro na Terra Firme há mais de 20 anos. Me baseei muito na minha família e no meu avô que já faleceu, me baseio na vida ribeirinha que fez parte da minha realidade”, conta.

O principal meio de divulgação do artista é por meio das redes sociais. Ele conta que é a primeira vez que participa de um evento no qual pode falar sobre sua obra. “Foi uma experiência muito boa e eu fiquei muito feliz por estar presente na Feira e poder falar do meu trabalho", comentou.

Serviço:

A 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes foi uma ação do Governo do Pará por meio da Secretaria de Cultura (Secult) que aconteceu entre 24/08 e 01/09 no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. O evento esteve aberto para visitação entre 10h e 21h com entrada franca.

Texto: Gabriel Marques

Fotos: Ricardo Amanajás