Contação e rede de conversas encerram programação infantil no estande da Ioepa


Contação de histórias do grupo Girandolando e intermediações de leitura com roda de conversas sobre as ações desenvolvidas no Espaço Cultural Nossa Biblioteca, do Guamá, encerraram a programação do espaço infantil “Criança, Paz e Conhecimento”, no estande da Imprensa Oficial do Estado, neste domingo (1). A contação, que começou 10h30, foi livre e movimentou o público que visitava o último dia da Feira. 

Gisele Gris, Cris Rodrigues e Rita Melem envolveram crianças, jovens e adultos que passavam pelo estande da Ioepa com um repertório de histórias e músicas autorais. Por volta das 16h, as mediadoras de leitura Sabrina Souza, Joana Chagas, Mineia Braga e Rita Melem envolviam o público com histórias variadas. O momento contou com a participação do contador mirim, Ariel Benício, de 11 anos, que faz parte do grupo Girândolas de contação de história.

Ariel começou a contar histórias desde cedo, incentivado pelo pai, também contador. “Eu inventei uma música e o público gostou. Desde aí comecei a acompanhar meu pai nas contações de história e a contar histórias também. E não parei mais”, disse o rapaz, que aproveitou para contar a história “Por que os mosquitos vivem nos ouvidos dos humanos?”.

Logo depois, foi a vez da roda de conversa com as mediadoras de leitura do Espaço Cultural Nossa Biblioteca, Néa Braga e Sabrina Souza, falarem sobre o “enraizamento comunitário”, sobre as ações do projeto que atua há 42 anos na promoção da leitura como direito humano no bairro do Guamá. Além disso, o projeto atende cerca de 5 mil pessoas por mês com atividades de formação de mediadores, mediação de leitura, literatura, teatro, dança, entre outras linguagens artísticas.

A ação foi realizada pelo Portal do Conhecimento, coordenada por Ellana Silva em parceria com a Rede de Bibliotecas Comunitárias Amazônia Literária e a Rede de Contadores de Histórias do Pará (Recontah). Teve articulação de Rita Melem, que todos os dias trouxe para o estande vários contadores de histórias e mediadores de leitura com a promoção de rodas de conversas, quintais literários, sarais literomusicais, entre outras ações envolvendo a participação de crianças, jovens e adultos que passaram pela Feira do Livro.

Serviço:

A 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes foi uma ação do Governo do Pará por meio da Secretaria de Cultura (Secult) que aconteceu entre 24/08 e 01/09 no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. O evento esteve aberto para visitação entre 10h e 21h com entrada franca.

Ascom/Ioepa