Contação de histórias tem o público como coadjuvante na Arena Walcyr Monteiro


Uma história contada pela atriz e professora Marluce Araújo na 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes prendeu a atenção do público. O “Olhar que Transver” foi o segundo espetáculo da arena Walcyr Monteiro na tarde deste domingo (1), último dia do evento. A narrativa da atriz é tão envolvente que a plateia acaba se tornando um elemento fundamental na história. 

Na contação, a atriz usa alguns elementos em cena que encantam o público: uma miniatura de máquina de costura, uma caixa de música, um olho e um binóculo, onde as crianças tentam descobrir o objeto imaginado durante a narrativa.

As crianças assumem um papel coadjuvante, tentando descobrir o “Olhar que Transver”, que tem o poder de olhar para dentro e para fora do sentimento das pessoas.

Antes de Marluce Araúo, quem se apresentou no palco da arena Walcyr Monteiro foi o veterano contador de histórias infantis e escritor Juraci Siqueira, 70 anos. As crianças e o público adulto fazem fila pra assistir os espetáculos.

A aposentada Martinha Conceição, de 64 anos, não perdeu nenhuma contação de história. “Eu gosto muito dessas histórias, volto no tempo mesmo”, destacou. O escritor Juraci Siqueira apresentou no palco as lendas do “Sapato Mágico” e da “Boneca Encantada”.

Autor de mais de 80 livros - entre contos, lendas, literatura de cordel e dirigida ao público infantil - Siqueira destaca a feira do Livro como um momento mágico, principalmente para as crianças que acompanham atentamente cada história e cada momento da exibição do escritor. “É muito legal, eu gosto muito”, disse o estudante Caio Vinício, de 10 anos.

A programação da arena Walcyr Monteiro seguiu por todo o domingo com a poesia de Mário Quintana, apresentada por Gil Ganesi; o espetáculo de teatro “Os Fuzis da Senhora Carrar”, do grupo Drama Rasgado; e encerra com o Sarau Movimento Hip-Hop Organizado do Pará.

Serviço:

A 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes é uma ação do Governo do Pará por meio da Secretaria de Cultura (Secult) que segue até o fim do dia 01/09 no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. O evento está aberto para visitação entre 10h e 21h com entrada franca.

Texto: Selma Amaral

Fotos: Ricardo Amanajás